RESENHA

A PEDAGOGIA MUSICAL ORFF E  NOVOS PARADIGMAS

 

O artigo de   Enny Parejo fala sobre o paradigma educacional e humano e,  a  importância  da música na escola , baseando- se na Pedagogia Musical orff.

O paradigma torna possível, que vários segmentos teóricos  se unem em um único dialogo, para tornar-se praticável em sua totalidade. Todos e tudo são  passíveis a  mudanças e a transformação, através da interação de diferentes formas de ver, sentir e agir no mundo.O paradigma ­­ possibilita a dialogo  entre as mais distintas partes, entre os diversos segmentos da sociedade e entre indivíduos e suas diferentes formas de pensar e sentir.

E a Pedagogia Musical orff,  abre espaço para o imaginário, a criatividade, ao experimental e o novo. Ela  abre caminho para a  educação, que precisa de  um ensino que recupere a importância  da formação lúdica da criança  de maneira harmoniosa, nas diferentes formas de pensar, sentir e aprender de cada uma delas. Com essa abertura educacional  integradora que essa pedagogia traz, as dimensões sensoriais, afetivas, relacionais, cognitivas e sociais,  encontram seu lugar na educação.

Dessa maneira torna-se possível que cada um possa interiorizar, e encontrar significado na música, e não somente   memorizar e dominar intelectualmente  os conceitos da mesma,como ocorre no  método tradicional, que na verdade não desenvolve  a lúdico ,que é essencial   para o desenvolvimento infantil.  

 A Pedagogia Orff,  permite ao aluno, participação no processo criativo de  forma ativa.Vale ressaltar  as composições didáticas de Carl Orff, que contribuiu com suas adaptações do folclore de vários povos distintos.

Considero essas composições e adaptações de Carl Orff do folclore, de  extrema importância para a educação, independente de adotar ou não a pedagogia musical criada por ele.Também vale lembrar que aprendemos com as diferenças, sejam elas culturais, sociais ou teóricas. 

Posso concluir que, ficou claro que na educação mudou o foco tecnicista ,para o humano  , e a Pedagogia Musical Orff, é uma das estratégias que mais se  ajusta ao Paradigma educacional e humano, que estamos vivenciando no século XXI.

 

 

 

BIBLIOGRAFIA:

PAREJO, Enny . Pedagogia Musical Orff e Novos Paradigmas

Site:Atelier Enny Parejo

 Enny Parejo -  Mestre  em Educação pela PUC de São Paulo.
Desenvolve pesquisa sobre metodologia própria, intitulada
INICIAÇÃO E SENSIBILIZAÇÃO MUSICAL

  CLEIDE RAMOS - PEDAGOGIA VESPERTINO - 2006                     

A música e o desenvolvimento social da criança      

            A música também traz efeitos muito significativos no campo da maturação social da criança. É por meio do repertório musical que nos iniciamos como membros de determinado grupo social. Por exemplo: os acalantos ouvidos por um bebê no Brasil não são os mesmos ouvidos por um bebê nascido na Islândia; da mesma forma, as brincadeiras, as adivinhas, as canções, as parlendas que dizem respeito à nossa realidade nos inserem na nossa cultura.

            Além disso, a música também é importante do ponto de vista da maturação individual, isto é, do aprendizado das regras sociais por parte da criança. Quando uma criança brinca de roda, por exemplo, ela tem a oportunidade de vivenciar, de forma lúdica,  situações de perda, de escolha, de decepção, de dúvida, de afirmação.

A música e o desenvolvimento afetivo

            Um outro campo de desenvolvimento é o que lida com a afetividade humana. Muitas vezes menosprezado por nossa sociedade tecnicista, é nele que os efeitos da prática musical se mostram mais claros, independendo de pesquisas e experimentos. Todos nós que lidamos com crianças percebemos isso. O que tem mudado é que agora estes efeitos têm sido estudados cientificamente também.

A linguagem musical tem sido apontada como uma das áreas de conhecimentos mais importantes a serem trabalhadas na Educação Infantil, ao lado da linguagem oral e escrita, do movimento, das artes visuais, da matemática e das ciências humanas e naturais.

 

A MÚSICA E O DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DA CRIANÇA

 

Inúmeras pesquisas, desenvolvidas em diferentes países e em diferentes épocas, particularmente nas décadas finais do século XX, confirmam que a influência da música no desenvolvimento da criança é incontestável. Algumas delas demonstraram que o bebê, ainda no útero materno, desenvolve reações a estímulos sonoros.

A presença da música na vida dos seres humanos é incontestável. Ela tem acompanhado a história da humanidade, ao longo dos tempos, exercendo as mais diferentes funções. Está presente em todas as regiões do globo, em todas as culturas, em todas as épocas: ou seja, a música é uma linguagem universal, que ultrapassa as barreiras do tempo e do espaço.
Por seu caráter relaxante, pode estimular a absorção de informações, isto é, a aprendizagem.

Ao se analisar as práticas musicais presentes nas creches e pré-escolas brasileiras, percebe-se que o trabalho pedagógico na área de música encontra-se bastante defasado em relação a outras áreas do conhecimento, as quais, em sua grande parte, já apontam para uma concepção de educação infantil mais crítica e transformadora.
Quando a criança faz um instrumento, está trabalhando com a essência do som.  O melhor é produzir instrumentos de percussão. Para isso, trabalhe com sucatas. Tubos de papelão e embalagens vazias de água mineral podem virar alto-falantes ou paus-de-chuva. Um balde plástico tampado por um papelão vira um surdo . Embalagens de ovo ou tampas de plástico podem fazer uma bateria.

Com crianças até quatro anos deve-se trabalhar principalmente com percussão. "A partir dos cinco, dá para iniciar o trabalho com a flauta-doce, que permite que a criança se exercite com um instrumento melódico", explica Maria Lúcia Suzigan. Mesmo que elas só consigam tapar os três últimos furos (que produzem as notas sol, lá e si), estarão treinando um trecho da escala.


"MÚSICA, s. f. arte e ciência da combinação dos sons." 

V

 

A música na educação infantil é um grande aliado do educador, e um facilitador no proceso de ensino-aprendizagem.

Podemos utilizar a música em diversos momentos da aula. Além de acalmar o ambiente, a música possibilita o desenvolvimento da linguagem oral, corporal, a socialização,o raciocínio lógico etc.

Ensinar com a música, torna o aprendizado mais prazeroso para a criança.

                                                                                                                                       CLEIDE RAMOS - PEDAGOGIA - 2006
A música na educação infantil tem múltiplas possibilidades: recrear, desenvolver na criança o gosto e a sensibilidade pela arte, facilitar a socialização, a coordenação motora, o raciocínio lógico, a linguagem verbal, a linguagem do corpo, a identificação da realidade e a interação com o ambiente, estimulando a lateralidade, o reconhecimento das cores, dos números etc.

Entre os diversos educadores musicais, existe um certo consenso de que a finalidade do ensino de música na escola fundamental é, sobretudo, proporcionar experiências estéticas, desenvolver o gosto pela música e ampliar o universo musical do educando, além da captação e expressão através da linguagem musical. Propõe-se o exame desta finalidade a partir da experiência estética.

Já se sabe que os estudantes gostam e admiram música tanto quanto os professores, porém, se eles se limitam ao que já conhecem, não ampliam os universos de referência nem aproximam-se do imenso patrimônio musical que a humanidade vem construindo ao longo dos séculos.

http://www.revistadoprofessor.com.br
http://novaescola.abril.uol.com.br/ ed/122_mai99/html/edinfantil.htm
[ ver mensagens anteriores ]



Meu Perfil
BRASIL, Sudeste, EMBU, PARQUE PIRAJUSSARA, Mulher, de 26 a 35 anos, Portuguese, Música, Arte e cultura, cinema e vídeo

 
Visitante número: